JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.

Opinião pública aponta críticas ao Governo por falta de regulação do serviço médico

Opinião pública aponta críticas ao Governo por falta de regulação do serviço médico

Foto husi google

Segundo a opinião pública, o ato ilícito praticado recentemente por alguns profissionais de saúde do Hospital Nacional Guido Valadares (HNGV), nomeadamente o episódio relacionado com o transporte de fármacos para proveito familiar, revelam da parte do Governo sinais de fragilidade na gestão de controlo e na regulação criteriosa do serviço médico em Timor-Leste.

Isaías Soares, estudante da Universidade Nacional Timor Lorosa’e (UNTL), pôs em causa o sentido de nacionalismo e patriotismo por parte dos profissionais de saúde por estes terem alegadamente roubado medicamentos do HNGV para benefício familiar, ato que considera reprovável e que deve ser alvo de investigação.

“A meu ver, isto é crime. O Governo gasta dinheiro todos os anos na aquisição de medicamentos para os entregar ao HNGV. Os fármacos destinam-se apenas aos doentes, pelo que não é permitido que sejam levados para o exterior, às escondidas, por parte de profissionais de saúde”, disse Isaías Soares, na passada segunda-feira, aos jornalistas do GMN, no Campus da UNTL, em Caicoli, Díli.

O estudante referiu ainda que a falta de medicamentos no HNGV se deve, única e exclusivamente, à ação ilegal desencadeada por alguns profissionais de saúde.

“Depois de efetuada a consulta médica, aos pacientes são-lhes apenas dado ‘paracetamol’. Não há outros tipos de medicamentos. Os médicos emitem receitas aos utentes, sugerindo-lhes que os vão comprar às clínicas privadas. Desconfiamos se estes medicamentos não terão sido enviados para as clínicas privadas”, referiu o estudante.

“Lamentamos esse tipo de atitude por parte dos profissionais de saúde. Revelam uma falta de espírito de nacionalismo. Sugerimos, como tal, à PDHJ e à CAC que efetuem uma investigação sobre o caso que envergonha a classe destes profissionais”, afirmou.

Lee hotu :   Profesór sira husi Korea sei hanorin voluntáriu iha TL

Também Agostinho da Gama, residente em Díli, considerou imoral a ação protagonizada por certos profissionais de saúde, tendo salientado a importância dos fármacos para a sobrevivência dos doentes.

“Estes medicamentos são fundamentais para salvar vidas humanas. Por isso, deviam ser bem controlados pela instituição responsável, neste caso o centro hospitalar. Sugiro, por isso, à PDHJ e à CAC que investiguem o caso. Quem teime em ignorar o caso, deverá eventualmente estar envolvido”, disse Agostinho.

Recorde-se que o Diretor-Executivo do centro hospitalar, Aniceto Barreto Cardoso, tinha antes confirmado a notícia de o pessoal de saúde do hospital serem os principais suspeitos no envolvimento de transporte ilegal de fármacos para o exterior.

Aniceto Cardoso lembrou ainda que o caso ocorreu em duas ocasiões, a primeira no dia 8 de novembro e a segunda no passado dia 12 do mesmo mês, tendo sublinhado que, embora estas duas ocorrências tivessem sido divulgadas pelos vários órgãos de comunicação social e nas redes sociais, nomeadamente no Facebook, é necessário que sejam realizadas todas as diligências no sentido de serem apurados todos os factos antes mesmo de o caso ser julgado em Tribunal. Ety

Add to Comments Here!!!!

error: Content is protected.
Secured By miniOrange
You might also like:
Alkatiri Sujere PM Taur remodela VIII Governu “FRETILIN sei vota kontra OJE 2020”

Sekretáriu Jeral Partidu FRETILIN,  Marí Bin...

Obbie Messakh ho Cristine Panjaitan sei “doko” kapital Díli

Artista lejendáriu Indonézia, Obbie Messakh no...

SEFOPE fo ezame abilidade ba kandidatu traballadór 723

Governu liu husi Sekretáriu Estadu Formasaun...

Close