JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.

Ramos Horta considera impasse político um teste para dirigentes partidários

Ramos Horta considera impasse político um teste para dirigentes partidários

José Ramos Horta disse que o impasse político que Timor-Leste atravessa constitui um teste para os dirigentes partidários.

“Timor-Leste vive atualmente uma crise política resultante da nossa democracia. No entanto, caso os líderes consigam encontrar uma fórmula rápida, aumentaria a nossa credibilidade. A qualidade de liderança é normalmente testada em situações de crise e de dificuldades. É nos próximos dias e semanas que vamos então ver o que são capazes de fazer”, disse, no passado sábado (18-01), na sua residência, em Metiaut, Díli.

Horta insistiu na ideia de que, se o Presidente da República e os líderes dos partidos políticos souberem agir com “inteligência”, a situação de incerteza política trará impacto positivo à credibilidade de Timor-Leste além-fronteiras. Em contrapartida, em caso de insucesso, poderá afetar a diplomacia do país e atrasar o seu desenvolvimento.

“O sucesso vai depender da forma como os líderes vão gerir esta crise. Se gerirem com inteligência o impacto será até muito positivo. Caso contrário, toda a nossa credibilidade cai por terra”, disse.

Segundo Horta, para pôr termo ao impasse político, é fundamental promover encontros entre todos os dirigentes políticos, sublinhando, no entanto, que todas as decisões estarão nas mãos do Presidente e dos partidos com assento no Parlamento.

O diplomata fez também um apelo à população para que esteja tranquila, dado que a situação no país se mantém calma, ainda que exista uma crise política.

Questionado sobre quem assumirá o cargo de Primeiro-Ministro, Horta disse pretender ajudar o futuro Governo, independentemente da cor partidária.

Ronda do PR: UDT/FM defende Governo de inclusão

O Presidente da República, Francisco Guterres “Lú Olo”, começou a ouvir as opiniões dos líderes partidários com assento parlamentar no sentido de encontrar uma solução que ponha fim ao impasse.

Lee hotu :   Timor oan sai vítima ba sistema embaixada Portugal ''Husu Governu interven lalais''

No primeiro dia de ronda, Lú Olo reuniu-se com os líderes das bancadas do partido do Conselho Nacional de Reconstrução de Timor-Leste (CNRT) e Partido Kmanek Haburas Unidade Nacional Timor-Oan (KHUNTO).

Segundo a Presidente do partido KHUNTO, Armanda Berta dos Santos, os dois partidos vão aguardar que o Chefe de Estado tome uma decisão final sobre a incerteza política que o país atravessa.

“Abordámos duas questões no encontro com o Chefe de Estado. Primeiro, todos foram unânimes na necessidade de existir um consenso entre os líderes nacionais. O segundo ponto prende-se com o artigo 86.º, da alínea F da Constituição, que atribui competências ao Presidente para resolver qualquer situação de incerteza política”, disse.

Também o Secretário-Geral do Partido do CNRT, Francisco Kalbuadi Lay, disse que o partido aguarda que o Chefe de Estado tome uma decisão final.

Já a coligação dos partidos Unidade Democrática de Timor-Leste e Frente de Mudança (UDT/FM) defende um Governo de “Grande Inclusão”, salientando que “o povo está saturado de eleições antecipadas”.

Recorde-se que as rondas negociais do Presidente da República manter-se-ão até 04 de fevereiro. oct

Add to Comments Here!!!!

error: Content is protected.
Secured By miniOrange
You might also like:
Eskola barak hetan inundasaun, MEJD husu komunidade labele soe fo’er arbiru

Ministra Edukasaun, Joventude no Desportu (MEJD),...

SEPC-emprezáriu Xineza sira sei fó apoiu ba vítima inundasaun Tasi-tolu

Sekretariadu  Estadu Protesaun Civíl (SEPC), koordena...

PN sei fó votus solidariedade ba vítima inséndiu iha Australia

Prezidente Parlamentu Nasionál (PPN), Arão Noe...

Close