JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.

PDHJ recebeu 134 queixas de Janeiro a Julho

PDHJ recebeu 134 queixas de Janeiro a Julho

A Provedora dos Direitos Humanos e Justiça (PDHJ), Jesuína Maria Ferreira Gomes, informou que o relatório desta instituição de janeiro a julho de 2020 conta com 134 queixas relativas a violações – 82 de boa governação e 52 de direitos humanos.

No entanto, segundo a provedora, dos 134 casos investigados pela PDHJ, apenas dez são considerados violações de direitos humanos e de boa governação.

Jesuína Gomes deu estas declarações na quinta-feira (23/07), aos jornalistas, na sequência da divulgação do relatório, na PDHJ, em Caicoli, Díli.

A provedora referiu ainda que a divulgação foi feita após a conclusão do relatório final, enviado com recomendações às entidades relevantes, como a Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL) e ministérios das Obras Públicas (MOP) e Finanças (MF).

De acordo com a responsável, os casos de irregularidades na administração pública e de violação dos direitos humanos foram cometidos por autoridades aduaneiras, pessoal do MOP do Município de Lautém, da administração do suco no Município de Bobonaro e por elementos da PNTL nos municípios de Ainaro, Baucau, Liquiçá e Díli.

“Relativamente à violação de direitos humanos, temos cinco casos, quatro dos quais cometidos por agentes da PNTL nos municípios de Díli, Ainaro e Baucau. O outro tratou-se de uma agressão física de um professor a um estudante no Município de Ainaro”, referiu Jesuína.

“Os cinco casos de irregularidades na administração pública referem-se a cobranças ilegais em Bobonaro, estragos em propriedades da população em Liquiçá, abuso de poder e má administração por um agente da PNTL em Manatuto”, acrescentou a provedora.

O superintendente José Soares, representante do Comandante-Geral da PNTL, disse, por seu turno, que as forças de segurança timorenses reconhecem os atos de agressão física cometidos pelos seus elementos.

Lee hotu :   PNTL Baucau iha ona kamera CCTV

José Soares acrescentou que o relatório da PDHJ, com as recomendações, será um “meio educativo” de extrema importância para os agentes policiais no desempenho das suas funções como forças de segurança pública.

“A PNTL não demonstra nenhuma alergia face a este relatório. Ao invés, reconhece os atos ilícitos cometidos por alguns dos seus elementos no terreno. Como cidadãos timorenses, estamos disponíveis e abertos às críticas de modo a melhorar o trabalho da nossa instituição policial”, concluiu. (san)

Add to Comments Here!!!!

error: Content is protected.
Secured By miniOrange
You might also like:
FONGTIL: Governo com má implementação do PEDN entre 2011 e 2020

O Diretor-Executivo do Fórum das Organizações...

Governu sei verifika reklamasaun subsídiu família

Vise Ministra Solidariedade Sosiál no Inkluzaun...

PN lamenta Governu apoia USD tokon 2 ba UNTL

Prezidente komisaun G iha Parlamentu Nasionál...

Close