JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.

Crise política e económica mantém-se em Timor-Leste, Ramos Horta: A origem está no PR ‘Lú Olo’

Crise política e económica mantém-se em Timor-Leste,  Ramos Horta: A origem está no PR ‘Lú Olo’

O ex-Presidente da República (PR), José Manuel Ramos Horta, disse que a origem da crise política, económica e social que perdura em Timor-Leste se deve ao atual Chefe de Estado, Francisco Guterres ‘Lú Olo’, por não ter empossado os membros do Governo da Aliança de Mudança para o Progresso (AMP).
“O problema mora em Aitarak-Laran, no Palácio Presidencial, onde o PR ‘Lú Olo’ mantém firme a sua posição de não dar posse [aos candidatos membros do Governo]. Não digo que seja irracional esta decisão do PR, mas, a meu ver, seria preferível empossá-los.”, disse Ramos Horta, na passada segunda-feira (06/01), no programa Grande Entrevista, transmitido no canal do GMN TV, em Bebora, Díli.
“O PR tem a sua própria convicção e interpretação, mas isso provocou uma tensão entre a presidência e a AMP, em particular entre os elementos do CNRT, que viu perder alguns dos seus quadros. Enquanto pessoa talvez mais experiente e mais velho, sugiro a Sua Excelência que reconsidere a sua decisão e entregue o caso ao Procurador-Geral da República e ao Tribunal para então poderem decidir se estes [candidatos] são ou não culpados”, afirmou.
Para o Nobel da Paz, a tomada de posse dos candidatos membros do Governo poderia ter aberto o caminho ao diálogo e a um consenso nacional.
Ramos Horta afirmou ainda que não tem ultimamente estado em contacto com Xanana Gusmão para então discutirem esta e outras questões nacionais.
“Não falo com o Maun Boot diariamente, mas lemos e ouvimos o que diz. Assistimos à atitude dos deputados da bancada AMP, ao votarem contra a ida do PR ao estrangeiro por mais do que uma ocasião. Tudo isso demonstra um clima tenso e que não deve ser escondido”, referiu.
Para Horta, os atuais problemas políticos internos que o país vive não se devem, contudo, à arrogância dos dirigentes da velha geração.
O ex-diplomata timorense sugeriu, entretanto, que fossem encontradas soluções para debelar a atual crise política e económica que o país enfrenta.
“Seria útil para o país que os nossos líderes, nomeadamente os dos partidos políticos, dessem um passo atrás, antes de seguirem em frente de modo a porem cobro aos diferentes problemas. Caso contrário, os maiores problemas recairão sobre a população”, afirmou.
O ex-Primeiro-Ministro realçou ainda que, se a situação do país se mantiver, Timor-Leste poderá não aderir à ASEAN.
“Não haverá adesão à ASEAN, se o Governo se mantiver paralisado. As embaixadas [dos países membros da ASEAN] têm acompanhado a nossa situação. Singapura, por exemplo, acompanha diariamente tudo o que se passa no nosso país”, disse.
“Caso os nossos problemas políticos não sejam resolvidos, que contributos daremos à ASEAN? O melhor é não aderirmos, ou então, esperamos mais uns cinco ou dez anos. Quem é o principal responsável? Com certeza, o atual Governo, o PR e todos aqueles que exercem poderes do Estado. Quem são eles? É o Chefe de Estado, o Parlamento Nacional e o Primeiro-Ministro”, concluiu Ramos Horta. (GMN)

Lee hotu :   DEPUTADU TENGKI DEKOR KONSTITUISAUN NO REJIMENTU PN

Add to Comments Here!!!!

error: Content is protected.
Secured By miniOrange
You might also like:
Governu lansa primeira pedra ba konstrusaun edifísiu PNTL ■Komunidade afetadu seidauk hetan indemnizasaun

Ministru Defeza no Interior Interinu Filomeno...

SETP: Komunidade okupa rai Estadu sei la hetan indemnizasaun

Sekretáriu Estadu Terras no Propriedade (SETP),...

Governo ameaça não apoiar vítimas de desastres naturais em zonas de risco

O Secretário de Estado da Proteção...

Close